Campo Mourão

Operação fecha comércio de drogas na cadeia

Walter Pereira

01/12/2010 às 06:16 - Atualizado em 01/12/2010 às 09:18

Uma operação “pente-fino” na manhã de ontem, na cadeia de Campo Mourão terminou com uma grande apreensão de objetos, entorpecentes e dinheiro. A polícia descobriu ainda o comércio ilícito de drogas no interior da cadeia. A ação, realizada a pedido do delegado chefe da 16ª Subdivisão Policial, José Aparecido Jacovós, começou por volta das 8 horas e terminou ao meio dia. A operação teve o envolvimento de cerca 34 PM’s e 10 policiais civis.

Conforme o delegado, a revista foi realizada após a polícia receber a denúncia de um próprio detento, de que os presos estariam planejando uma fuga em massa. Esta mesma pessoa teria dito ainda em juiz que havia inúmeros aparelhos de celulares no presídio. “Com base nestas informações realizamos esta operação surpresa e encontramos todos estes objetos”, explica, acrescentando que o denunciante foi transferido para outro presídio por questões de segurança.

Segundo informações da Polícia Militar, que auxiliou na operação, a revista foi feita nas duas galerias do presídio, que contam ao todo com 18 celas. Foram encontrados 74 aparelhos de celulares, 15 gramas de cocaína, 500 gramas de maconha, 25 gramas de crack, 20 gramas de raxixe, 43 estoques, 2 alicates, 1 soldador elétrico e R$ 1 mil em dinheiro. “Destes celulares, eu garanto que apenas 30% deles estavam funcionando”, diz  Jacovós, lembrando que foi encontrado celular até dentro de embalagem de shampoo.

A delegada adjunta, Maria Nysa Moreira Nanni, que participou das buscas, revela que foram apreendidas ainda pelo menos cinco agendas com anotações de presos que estariam devendo dinheiro de drogas dentro do presídio, fato que reforça a hipótese da polícia de que funcionava uma espécie de comércio ilícito de entorpecentes dentro da cadeia. “Na verdade eram duas pessoas que lideravam todas as celas. Eles tinham o controle de tudo que se passava na cadeia. A conduta deles acabava tendo o auxílio dos outros detentos”, comenta a delegada.

Maria Nysa, explica que ao todo, seis presidiários foram autuados em flagrante por associação ao tráfico.  Como pena, eles ficarão 30 dias sem visitas e em cela mais restrita. A cadeia de Campo Mourão tem capacidade para 75 presos, mas atualmente está ocupada por cerca de 220.

Jacovós acrescenta, que desde o início do ano, em outras operações como esta, a polícia já havia apreendido mais de 60 celulares, entre outros objetos. Conforme ele, alguns aparelhos e carregadores ainda estavam embrulhados por camisinhas, o que leva a crer que estes objetos entraram na cadeia dentro de partes íntimas das mulheres dos detentos. “Evitar que alguns objetos entrem na delegacia é praticamente impossível”, completa o delegado, destacando que a revista da polícia, principalmente em mulheres tem limitações.

s

Armamentos encontrados

Publicidade
Publicidade
Imagem do Dia

Bancos do ponto de ônibus do transporte coletivo na Rua Pitanga em Campo Mourão

Publicidade