Paraná

Valor destaca retomada do Paraná

O Paraná é um “ponto fora da curva” no meio da crise que assola o país. É o que afirma nesta semana o Valor Econômico, um dos jornais de economia mais importantes do Brasil. Este cenário, de acordo com a publicação, é decorrente do ajuste fiscal feito pelo governador Beto Richa no final de 2014, que colocou o Estado de volta nos trilhos do crescimento econômico.

“Fico orgulhoso de ver publicações tanto nacionais como internacionais reconhecerem o esforço que fizemos e temos feito em prol do desenvolvimento econômico e da melhoria da qualidade de vida dos paranaenses”, disse Beto Richa.

“No momento em que fizemos os ajustes, não havia percepção de setores da sociedade e da imprensa de que o País e os estados enfrentariam uma grande crise, em função dos desacertos da política econômica do então governo federal. Hoje isso é mais claro e os resultados de nosso equilíbrio nas contas públicas mostram que todo esforço feito na época se justificou”, completou.

Após o ajuste fiscal, o governo elevou as receitas em 2,5% e reduziu as despesas correntes em 7,5%, dando fôlego para o caixa do Estado, destaca a publicação. Em 2006, o Paraná investiu R$ 5,8 bilhões, montante duas vezes maior do que o total de 2015. A previsão para este ano é que os investimentos cheguem na casa dos R$ 7,6 bilhões.

Do total de recursos colocados no Estado, um dos destaques dados pelo jornal é a educação. O Paraná foi o segundo estado que mais liberou recursos nesta área, visando o desenvolvimento tecnológico e a inovação. Só as sete universidades estaduais receberam R$ 2,5 bilhões de aporte em 2016, ante R$ 800 milhões em 2010.

Incentivo

O jornal realça o trabalho do governo do Estado na ampliação de benefícios fiscais e na atração de investimentos, alcançados por meio dos programas Paraná Competitivo, que atraiu R$ 42 bilhões de investimentos entre 2011 e 2016, e o Bom Negócio, com foco no empreendedorismo.

O Valor Econômico também salienta que o Paraná é o segundo Estado da Federação que mais investiu em rodovias, totalizando R$ 1 bilhão só em 2016, segundo a Secretaria do Tesouro Nacional.

Ao abordar infraestrutura, a publicação cita o Porto de Paranaguá e o de Antonina, que estão dentro de um programa de investimentos de R$ 924 milhões entre 2011 e 2018.

O Porto de Paranaguá já havia sido abordado pela imprensa nacional. Na semana passada, o Globo Rural destacou os investimentos recordes e as reformas feitas nos últimos anos, que ampliaram a capacidade e melhoraram a eficiência do local.

Em fevereiro deste ano, o complexo de escoamento de grãos do Porto registrou o melhor mês de sua história, com 1,69 milhão de toneladas exportadas.
olho
"Jornal realça o trabalho na ampliação de benefícios fiscais e na atração de investimentos, alcançados por meio dos programas Paraná Competitivo"

Soja do PR tem a maior produtividade do mundo

A produtividade média da soja será de 3,6 mil quilos por hectare neste ano no Paraná, montante 12% superior à quantidade dos Estados Unidos. O Estado, portanto, toma a liderança do país norte-americano na produção do grão, afirma o Valor Econômico.

Além do recorde de produtividade, o Paraná também desponta na colheita. Neste ano, serão colhidas 19 milhões toneladas de soja, montante 13% superior ao registrado em 2016.

Não só a soja, mas o agronegócio como um todo é um propulsor da economia do Estado, evidencia a publicação. A boa safra de grãos de 2016/2017, com produção recorde variando de 39,2 a 42,2 milhões, deve ainda puxar outros setores da economia, como a indústria de alimentos e a construção civil.

A estimativa do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) é que o PIB do agronegócio suba 1,5% neste ano no Estado, ante a queda de 2,4% projetada para 2016.

O veículo também salienta que o cooperativismo, que faturou R$ 70 bilhões em 2016 no Paraná, é uma das forças do agronegócio paranaense.  No Estado, há 82 cooperativas e 1,5 milhão de cooperados.