Saúde

Teste da Mamãe em papel de filtro agiliza diagnósticos

20/11/2013 às 08:44 - Atualizado em 20/11/2013 às 09:19

Divulgação

Exame detecta quatro doenças graves que afetam o
desenvolvimento

Uma das deficiências mais significativas que influenciam a qualidade do pré-natal é a dificuldade que as gestantes encontram para realizar os exames laboratoriais. Segundo a Sociedade Brasileira de Análise Clínicas, o país conta com 17 mil laboratórios para 192 milhões de habitantes. A falta de acesso é um dos fatores que levam muitas gestantes a chegarem ao final do pré-natal sem ter realizado os testes laboratoriais necessários. Exames pré-natais em papel de filtro chegam para baratear custos e agilizar diagnósticos em gestantes.

A ideia surgiu do teste do pezinho, onde a mãe em sua primeira consulta no posto de saúde, coleta gotas de sangue em um papel filtro e junto com seus dados cadastrais o material é enviado para o laboratório via Correios, permitindo o acesso e a cobertura até o mais longínquo município. As gestantes não precisam de jejum para fazer os testes e o resultado fica pronto em até 15 dias. A metodologia permite resultados mais rápidos e a realização de múltiplos exames, incluindo a detecção de citomegalovírus e HTLV (vírus T-linfotrópico humano) que não constituem o protocolo mínimo do ministério da saúde para todo o Brasil. Muitos estados brasileiros, como Rio de Janeiro, Bahia, Goiás, Mato Grosso estão adotando a nova metodologia. O Estado do Paraná, com o Programa Rede Mãe Paranaense implantado em Maio de 2012, ainda não se convenceu desta inovação nos exames pré-natais.

Os biomédicos do estado, com ampla atuação em análises clínicas, podem iniciar estes testes dentro dos laboratórios paranaenses, mostrando à Secretaria de Saúde, que o Teste da Mamãe é seguro e amplo, proporciona um rastreio efetivo e o rápido tratamento para as doenças implicadas à futura mãe e ao seu bebê.

Fonte: Triagem pré-natal ampliada: Teste da mamãe (Clidenor Gomes Filho et al., 2009).

Professora Mestre Amanda de Sá

Curso de Biomedicina | Faculdade Integrado

Publicidade
Publicidade
Imagem do Dia

Lâmpadas fluorescentes continuam sendo "deixadas" por moradores nos canteiros em Campo Mourão

Publicidade